Cantora Glória da Lu, entre as mulheres que foram distinguidas.

Cantora Glória da Lu, entre as mulheres que foram distinguidas.

PraiseArt: Edição especial homenageia mulheres

O PraiseArt realizou no Dia  Internacional da Mulher, uma edição especial em que foram homenageadas várias mulheres que no meio evangélico dão um contributo directo ou indirecto para o crescimento da música gospel.

Cantora Glória da Lu, entre as mulheres que foram distinguidas.
Cantora Glória da Lu, entre as mulheres que foram distinguidas.

Francisco Gonçalves “Charro”, coordenador do PraiseArt, disse ao portal Arautos da Fé que o espaço tem uma responsabilidade, sobretudo com a nova geração, de fazer conhecido o seu trabalho.

“O PraiseArt é aquele espaço que desenvolve a nata da música evangélica” lembrou e referiu que homenagear a mulheres naquele espaço visou dar-lhes “mais força”.

Charro disse também, ser objectivo do PraiseArt fazer com que as mulheres fazedoras de arte gospel se constituam em “um grupo coeso e forte”.

O responsável, informou que o mês março no PraiseArt é reservado “especialmente” as mulheres e que no último domingo (29), será realizado no referido espaço um debate em que mulheres vão falar dos seus desafios na música.

Francisco Gonçalves "Charro" coordenador do PraiseArt
Francisco Gonçalves “Charro” coordenador do PraiseArt

Mulheres têm sido bem representadas

Nádia Mayembe, uma das homenageadas, reconheceu o papel relevante que o espaço teve na promoção da sua carreira e ao portal Arautos da Fé, expressou a sua gratidão a Deus, que segundo disse, “tem derramado muito talento nas mulheres”.

Reconheceu haver dificuldades para as mulheres que fazem música gospel e lamentou que às vezes as próprias não “conseguem” perceber o valor que têm. “Por vezes as pessoas nos tratam bem, mas nós não conseguimos nos dar o verdadeiro valor. Por vezes nos minimizamos e esquecemos as capacidades que temos”.

Mayembe, lembrou que há algum tempo uma ou duas cantoras figuravam entre os nomes mais sonantes da música gospel angolana, realidade muito diferente da actual. “Hoje são tantas. Umas que já têm nome e outras que estão a caminhar para o sucesso”.

A cantora referiu que a participação feminina nos grandes eventos  de música gospel já é notável e afirmou que as cantoras gospel têm sido “bem representadas”.

Falando do relacionamento entre cantoras gospel, garantiu que de modo geral, é bom, mas que um “pouquinho” de união. “Para o próprio crescimento do nosso trabalho, precisamos pensar em estratégias de como as mulheres podem se unir e através desta união engrandecer mais a obra de Deus”.

Às mulheres angolanas,  a cantora exortou a se lembrarem que apesar da crise que o país está a atravessar, “o nosso Deus é Deus da graça”.

“Que os joelhos estejam sempre no chão para pedir quando já não tiverem mais forças, sei que Deus as levará de sucesso em sucesso.”

Momento em que a cantora Nádia Mayembe viu o seu trabalho ser reconhecido.
Momento em que a cantora Nádia Mayembe viu o seu trabalho ser reconhecido.

As mulheres podem fazer muito, mas faltam apoios

A cantora Joana Miranda, que viu também o seu trabalho ser reconhecido, disse ao portal Arautos da Fé que as mulheres fazedoras das artes gospel estão a ser mais valorizadas e muito bem aceites.

O número de mulheres fazendo gospel tem crescido bem como a qualidade, apontou. “Vozes muito lindas, mensagens muito importantes a nível do evangelho. Tem sido uma bênção.”

Sobre dificuldade por que passam as mulheres que fazem gospel, Joana Miranda apontou para a falta de apoios e de mais oportunidades para elas mostrarem o seu trabalho. “Há possibilidades de fazerem isso, mas sem apoios não é possível.”

A todas mulheres, a cantora pediu que tenham “muita força, muito amor, que sejam protectoras das suas famílias e que sejam mulheres de muita oração.”

Joana Miranda
Cantora Joana Miranda

Maturidade é necessária para suportar as adversidades que a música gospel trás

Outra senhora da música gospel distinguida, chama-se Cubana Adriano, que em entrevista ao portal Arautos da Fé falou dos desafios que o ministério trás.

Esposa e mãe, contou tem sido possível conciliar o ministério de louvor e a família, por ter uma estrutura familiar baseada na ordem divina.

“Quando você tem um parceiro que compreende a ordem divina, é fácil ele compreender o teu chamado e vocês se auxiliarem naquilo que Deus vos permitiu viver”, explicou e acrescentou que o ministério que Deus lhe deu “só tem sucesso por causa dele (esposo).”

Questionada sobre se as cantoras gospel têm tido encontros de partilha de experiências, respondeu ser muito difícil e justificou que a vida agora está muito acelerada. “Mas de uma maneira particular quando nos encontramos conversamos e falamos da saúde do gospel e como as mulheres estão a interagir. É verdade que nem todas interagem facilmente porque muitas delas não se conhecem.”

Sobre assédio na música gospel, disse que nunca viveu “isso, mas se calhar, as experiências são diferentes”.

“A princípio sou uma mulher que impõe limites, não só por ser mulher casada mas pela forma como fui educada. Eu não permito que os homens olhem para mim com uma segunda intenção, me facilita porque o meu esposo acaba vivendo em paz.”

As jovens cantoras, Cubana Adriano aconselhou se prepararem para os desafios que a música gospel apresenta.

“O chamado existe mas é necessário ter certeza e maturidade para permanecer naquilo. Há muita gente hoje em dia, até homens, que querem desistir. Porquê? por causa dos desafios ou obstáculos que encontraram no meio do caminho”, advertiu e insistiu dizendo que é necessário de ter maturidade para suportar as adversidades que a música gospel trás. “Não estamos a falar do diabo, estamos a falar das decepções da pessoas que te vão rodear. Isso é que te vai magoar porque você vai perceber que não estás a fazer nada aí, então prefiro me isolar. Mas não se isole, continue a fazer do jeito que Deus pediu para fazer, mas agora, com uma visão ampla da situação.”

Cubana Adriano sendo distinguida
Cubana Adriano sendo distinguida

2020 ano do recomeço

De volta aos palcos, a cantora Maria Humba, que dedicou algum tempo a cuidar de assuntos pessoais, garantiu que 2020 será um ano diferente.

A cantora, disse que não é tarefa fácil cuidar do lar, da carreira e de outros afazeres, mas também não é impossível. “Até porque se assim fosse, já teríamos desistido. Tem sido bastante difícil mas o propósito de Deus connosco é mais forte”, afirmou.

Maria Humba, assegurou ao portal Arautos da Fé, que vai apresentar ao público novas músicas em línguas nacionais, em estilos diferentes dos que até agora apresentou,  e atender ao convites.

“Estamos a vir aí com boas coisas”, prometeu a cantora, que neste ano também aposta na carreira de jornalista.

Às mulheres angolanas, dedicou palavras de encorajamento. “Força e coragem. Não é fácil ser mulher por causa das necessidades e dificuldades que passamos, ainda mais quando temos carreiras para gerir, lares para cuidar…  o resto Deus sabe.

Cantora Maria Humba
Cantora Maria Humba 

Clique para ver a reportagem fotográfica: https://bit.ly/3aJz9kp