Felner Batalha: “A reforma da Igreja Universal do Reino de Deus em Angola é uma realidade irreversível”

Felner Batalha: “A reforma da Igreja Universal do Reino de Deus em Angola é uma realidade irreversível”. (Foto: Ed. Nov.)

“A reforma da Igreja Universal do Reino de Deus em Angola é uma realidade irreversível”

Hoje, numa extensa entrevista que concedeu ao JÁ, o bispo Felner Amarildo Vitomba Batalha, assessor para os Assuntos Eclesiásticos e Institucionais do bispo Valente Luís Bezerra, coordenador da Comissão de Reforma da Igreja Universal do Reino de Deus em Angola, fez novas revelações sobre a crise na Igreja fundada por Edir Macedo.

Felner Batalha: “A reforma da Igreja Universal do Reino de Deus em Angola é uma realidade irreversível”
Felner Batalha: “A reforma da Igreja Universal do Reino de Deus em Angola é uma realidade irreversível”. (Foto: Ed. Nov.)

O portal Arautos da Fé faz um resumo dos principais pontos abordados na entrevista.

– Todas as quintas, o bispo local realizava uma assembleia espiritual com os pastores locais, no intervalo das 12 às 14 horas. E a partir das 13 horas, entravam em videoconferência com o líder máximo da Igreja, o bispo Edir Macedo.

– A 28 de Novembro de 2019,  depois da conferência local, um pastor angolano foi incumbido para ler um manifesto. Solicitou ao bispo local,  Honorilton Gonçalves um intervalo de tempo para ler o manifesto pastoral antes de entrar em cadeia com o bispo Edir Macedo.  Depois de começar a ser lido o manifesto, o bispo Honorilton Gonçalves abandonou a sala e instalou-se o caos, que mudou o curso da igreja em Angola.

– A recusa do bispo Honorilton Gonçalves em ouvir o manifesto pastoral foi a principal causa que retirou o problema do fórum interno e o colocou em hasta pública. Os pastores angolanos passam a contestar a liderança do bispo Edir Macedo e de Honorilton Gonçalves.

– A vasectomia imposta, represálias às esposas dos pastores, são fenómenos recentes, introduzidos a partir do ano de 2000 para cá. Alguns bispos foram mais severos outros nem tanto.

– Com a intensificação da vasectomia, expulsões arbitrárias dos pastores da obra, discriminação racial, evasão de divisas e informações sobre a venda do património da igreja, tudo isso provocou a saturação dos bispos e pastores angolanos, que prepararam um manifesto lido por um pastor antes do início do culto com o bispo local a 28 de Novembro de 2019.

– Os dízimos, ofertas, propósitos e “fogueiras santas”, uma vez recolhidos, são canalizados para a tesouraria, controlada única e exclusivamente por bispos e pastores de nacionalidade brasileira. Depois das receitas serem canalizadas para a tesouraria, o que acontece daí para frente ninguém sabe.

– Ao logo dos 29 anos da história da Igreja Universal em Angola, o bispo Felner Batalha, está entre os poucos angolanos com o ensino superior concluído. Administração pela AIEC, na modalidade à distância. Já a formação teológica foi uma decisão minha, não informei à direcção da igreja, pois, havia esta necessidade de ter conhecimento teológico, uma vez que sou pregador. Além de mim temos mais CINCO PASTORES COM FORMAÇÃO SUPERIOR, sendo um médico, dois juristas e mais dois em comunicação social num universo de quase 400 pastores angolanos.

– Em Junho deste ano, os bispos e pastores da Universal no país (Angola), romperam com a cúpula da igreja, assumiram o controle dos templos e expulsaram os colegas brasileiros.

– Os angolanos acusaram a direcção brasileira da IURD – num manifesto assinado por 320 bispos e pastores – de supostos crimes como evasão de divisas, expatriação ilícita de capitais, racismo, discriminação, abuso de autoridade e imposição da prática de vasectomia aos pastores.

– A 24 de Junho de 2020, realizaram a Assembleia Geral Extraordinária que elegeu coordenador da Comissão de Reforma da Igreja Universal do Reino de Deus em Angola.