Kark Sumba, John Kanga e Nell Jazz, formam o Trio Convergente. (Foto: cedida)

Kark Sumba, John Kanga e Nell Jazz, formam o Trio Convergente. (Foto: cedida)

Trio Convergente em concerto no Chá de Caxinde

O Trio Convergente, formado pelos músicos John Kanga, Kark Sumba e o Nell Jazz, realiza no próximo sábado, 8 de fevereiro, no Chá de Caxinde a partir das 15 horas, a 3ª edição do concerto Mississippi Jazz.

Kark Sumba, John Kanga e Nell Jazz, formam o Trio Convergente. (Foto: cedida)
Kark Sumba, John Kanga e Nell Jazz, formam o Trio Convergente. (Foto: cedida)

Em entrevista ao portal Arautos da Fé no último domingo 02.02.2020, o músico Nell Jazz prometeu “muitas surpresas” e garantiu que o concerto trás um conceito diferente das edições passadas.

Além da actuação conjunta do Trio, haverá momento para cada artista apresentar com a sua banda, alguns de seus melhores temas musicais.

Constantino, Katiliana e Djeff Brown, são os convidados desta edição e segundo Nell Jazz, foram “intimados” a participar dentro do conceito criado pelo Trio, fazer Jazz, Blues na vertente gospel e “dar aquilo que é a boa arte aos verdadeiros cristãos”.

“Vai perder quem ficar em casa e não ir assistir o concerto”, avisou Nell Jazz, que na ocasião informou que os interessados podem acessar as páginas no Facebook de qualquer um dos integrantes do Trio para solicitar ingressos ou ligar para o telefone 928497943.

Os ingressos custos 2.500 Kwanzas para área normal – com direito a cartão de consumo e 12.000 Kwanzas para área vip – com o bar aberto e buffet.

“Juntamos o útil ao agradável”

Apesar de serem versáteis, cada um apresenta tendência para determinado estilo. John Kanga está mais voltado ao Afro, Reggae, Kark Sumba ao Soul Music e Jazz, e Nell Jazz, ao Blues e Jazz.

Essas particularidades, tornam o trabalho do Trio mais “apetecível”. “Só juntamos o útil ao agradável”, reforça Nell Jazz, assegurando que o Mississippi Jazz Concert “tem tido boa demanda”, facto que levou os idealizadores a programaram leva-lo a outras província e permitindo Deus, para fora do país.

Depois de Luanda, Uíge em abril e Malange em outubro, serão as primeiras províncias a receberem o projecto.

Aos admiradores, Nell Jazz pediu que orem a favor do projecto, pela saúde física, espiritual e financeira do artistas. “Não e fácil considerando que trabalhamos por conta própria”, disse, e reafirmou o compromisso do grupo de levar Palavra a mais pessoas através dos estilos musicais que fazem.