Antiga direcção da Asso-Música impediu acesso a conta bancaria e aos documentos, revela actual presidente

Um ano depois de ter tomado posse, a actual direcção da Asso-Música, não teve acesso a conta bancaria e a documentos da associação, revelou o seu actual presidente, Guy Destino.

Um ano depois de ter tomado posse, a actual direcção da Asso-Música, não teve acesso a conta bancaria e a documentos da associação, revelou o seu actual presidente, Guy Destino.

Durante uma live, na noite do último domingo, que serviu para apresentar o balanço do primeiro ano de governação, Guy Destino disse que foram várias as tentativas de resolver a situação e lamentou o bloqueio feito pela direcção anterior, encabeçada pelo músico Paulo Paz.

Administrativamente isso impediu muita coisa, referiu, sublinhando que para agravar, tiveram um défice de documentos que impediram a abertura, a tempo e hora, de outra conta bancária.

Só no mês passado foi possível abrir uma conta num banco comercial revelou o presidente da Asso-Música, assinalando que isso vai possibilitar avançar com outras tarefas da organização.

Guy Destino anunciou na ocasião que os músicos gospel terão em breve, carteiras profissionais que virão da UNAC, inda que não estejam filiados àquela organização.

Para o início do próximo mês, está prevista a inauguração da sede da Asso-Música, localizada no bairro Calemba 2, em Luanda, uma infra-estrutura que foi “cedida por um amigo” da associação, esclareceu.

A direcção da associação perspectiva a realização de formação dos delegados provinciais, workshops, retiro espiritual nacional, inscrição dos filiados na segurança social e uma feira das artes gospel “Echagas”, nos dias 18 e 19 de novembro deste ano.

A “boa nova” para os músicos gospel, disse o presidente, é que as quotas baixaram de mil para seiscentos kwanzas.

Sobre as realizações do primeiro ano, Guy Destino destacou a reestruturação da associação que encontrou com uma ideologia diferente, mudança do logotipo, criação de canal no Youtube, nos qual os músicos poderão divulgar e rentabilizar os seus trabalhos.

Falou da criação do novo programa gospel na rádio Ecclesia, apresentado pelo músico Kark Sumba, cuja escolha, referiu, suscitou algumas reacções.

“Há quem acha que devíamos fazer casting. A autoridade divina que Deus me concedeu orientou-me que podia ser o nosso amado Kark Sumba e tem sido uma bênção”.

A Asso-Música deseja gerir as músicas gospel nas plataformas Kisson e do Toque de espera, e para tal, mantém conversações directas com a Unitel.

Os músicos gospel, anunciou, já podem realizar actividade sem pagar nada, no Palácio de Ferro.

Antiga direcção da Asso-Música impediu acesso a conta bancaria e aos documentos, revela actual presidente