Pastor Sadrack Lufuankenda. (Foto: DR)

Decisão de vacinar crianças devia pertencer aos pais, defende pastor

O pastor Sadrack Manuel manifestou-se contra a medida do governo que proíbe a entrada em escolas de pré-adolescentes e adolescentes que não apresentem cartão de vacina e apelou a internvenção imediata do Presidente da República, João Lourenço. 

Decisão de vacinar crianças devia pertencer aos pais, defende pastor

O pastor Sadrack Manuel Lufuankenda manifestou-se contra a medida do governo que proíbe a entrada em escolas de pré-adolescentes e adolescentes que não apresentem cartão de vacina e apelou a internvenção imediata do Presidente da República, João Lourenço.

Pastor Sadrack Manuel Lufuankenda. (Foto: DR)

No apelo, feito via Facebook, o pastor defende que a decisão de vacinar as crianças devia ser opcional e pertencer aos pais.

O mundo beira a ditadura da vacina com as crianças, que vejo ser uma medida que até países que foram feridos terrivelmente ainda nem aderiram, por haver muita em causa, afirmou o pastor que espera que o seu apelo seja atendido, considerando que a medida “desmedida”, carece de estudos e análises.

Obrigar a vacinacinação aos menores seria ofensivo as famílias e criaria constrangimentos aos pais, considerou.

O apelo surge dias depois da ministra da Saúde, Silvia Lutucuta, ter anuncido, durante a actualização das medidas de prevenção contra a Covid-19, que as as crianças e adolescentes dos 12 aos 17 anos começam a ser vacinadas, em todo o país.

Por Linda Franco

Decisão de vacinar crianças devia pertencer aos pais, defende pastor