Para o músico Elias Miguel, o concerto superou as expectativas.

Elias Miguel, satisfeito com concerto.

Elias Miguel abre 2020 com concerto “Ao Som da Cruz”

“Ao Som da cruz”, foi tema do primeiro concerto deste ano, do músico gospel Elias Miguel, realizado no domingo (09.02), na congregação Glória do Senhor – Ministério Ebenezer Centro Emanuel.

Para o músico Elias Miguel, o concerto superou as expectativas.
Elias Miguel, satisfeito com concerto.

O concerto contou com as participações de grupos como o Goshen, Ao Som da Graça, Santuário de Adoração e do Pastor Maiomona Afonso que ministrou a Palavra.

Ao portal Arautos da Fé, Elias Miguel agradeceu a presença do público e revelou que esteve além da sua expectativa. “Sentimos-nos felizes porque mesmo sendo distante do locais que habitualmente temos realizado as actividades, conseguimos ter um bom número de pessoas.”

Sobre o tema do concerto comentou que faz algum tempo que Deus o colocou no seu coração. Representa tudo que a Igreja ganhou com a morte de Cristo na cruz.

Durante a entrevista, o artista disse que 2019 foi um ano “positivo” e a única actividade que não conseguiu cumprir é o lançamento do CD, o que poderá acontecer ainda no primeiro semestre deste ano.

“Essência” é o titulo da obra discográfica e já está feita, aguardando por “algumas questões financeiras” para o seu lançamento.

Trás uma variedade de estilos musicais com destaque para o Worship, Neo Soul, Guetto Zouk, Naj e Blues. Sobre a agenda de eventos, disse que estão previstos sete concertos de “pequena e média” dimensão ao longo de 2020.

O músico contou que pensa em explorar o CD “Essência” por 2 ou 3 anos e só depois lançar o segundo CD, que já tem o repertório e o tema preparados.

Público gospel
Música gospel

Para Elias Miguel, a música gospel angolana tem registado “um certo” crescimento, embora “um pouco desordenado”.

“Temos que ser francos: muita coisa mudou e também muita coisa precisa ser melhorada”, afirmou o artista que na escala de zero a cem, atribui setenta a música gospel angolana.

Entre o que precisa mudar, apontou, está a forma como os Pastores olham para os músicos. “A concepção de que os músicos gospel são simples mercenários”.

Os Pastores, disse, têm que começar a ver os músicos gospel como verdadeiros servos do Senhor, pois que, sublinhou, os dois têm a missão de pregar a Palavra.

Quanto aos músicos, exortou a tomarem consciência de que antes de serem músicos devem verdadeiramente ser cristãos. “Temos visto muitos comportamentos pouco abonatórias por parte dos músicos. Muitos dos músicos verdadeiramente não são cristãos”, lamentou.

A unidade no seio da classe artística, é uma questão que já “vem das gerações passadas” reconheceu e disse acreditar que a sua geração está disposta a unificar verdadeiramente a classe. “Eu acho que é possível”.

Aos admiradores, Elias Miguel pediu que continuem a apoia-lo e a orar por ele.

“As músicas estão em todas plataformas. “Tua Palavra”, “Bondade”, “Soberanamente”. Você que dá apoio, você que segue, continue a fazer isso, partilhe, continue orando pelo irmão Elias Miguel.”